De carro pela Itália 

Um roteiro com mais de 2700 anos de história, terra de grandes imperadores e de Papas, que ergueram ali alguns dos monumentos mais importantes do mundo. Não importa quanto tempo você for se programar para conhecer a Itália, com certeza será pouco...
Por exemplo, se você é daqueles que adoram visitar castelos, poderá escolher dentre nada menos que os 20.000 existentes aqui, se o seu forte for às igrejas são 100.000, edifícios históricos, antigas residências de artistas famosos e os bares centenários chegam a 50.000, são 3.000 museus, sendo que só o do Vaticano possui são 3.000 peças e finalmente há ainda cerca de 1.000 sítios arqueológicos espalhados de norte a sul do país, testemunhando uma civilização de quatro milênios.
Só velharia? Longe disso, meu amigo. Encravada numa península com curioso formato de uma bota, a Itália está repleta de paisagens belíssimas como as da Costa Amalfitana, no sul, vinhedos e campos de girassóis da Toscana, na região central do país, e os lagos azuis formados ao pé dos Alpes, no norte. O litoral italiano, banhado pelo Mar Tirreno, a oeste, e pelo Adriático, do outro lado, é tão recortado que consegue a façanha de ser mais extenso do que o brasileiro, embora a Itália seja quase 30 vezes menor do que o Brasil.
Além dos museus e dos belos cenários, qualquer cidade italiana pode surpreender seus visitantes com lojas elegantes instaladas em palácios renascentistas, espetáculos de balé ou concerto em profusão ou restaurantes fantásticos em becos escondidos. As atrações estão próximas uma das outras, desde que você não coloque em seu roteiro mais lugares do que é capaz de curtir, poderá rodar o país inteiro com muito prazer. De ônibus, trem ou carro.


A Varig e a Alitalia têm Vôos diretos para Roma e Milão. Se quiser economizar, pesquise vôos com conexões em outras companhias, há boas promoções em algumas épocas do ano.
Outra boa opção é ir com os roteiros oferecidos pelas agências especializadas em viagem para Itália, elas possuem várias opções em roteiros de ônibus e trem, e às vezes além dos roteiros de ônibus, oferece viagens em motorhomes alugados.

 

 

 


Faça a sua escolha pelo transporte ideal. Você decide. Se quiser um programa convencional e confortável, com guia bilíngue informando tudo e novos amigos por perto, embarque numa excursão de ônibus. Caso prefira um roteiro mais pessoal e romântico, o trem é uma ótima alternativa. Mas se você gosta mesmo é da liberdade de fazer seu próprio caminho, alugue um carro.
O tempo de permanecia você vai determinar quando souber o que você deseja conhecer, por exemplo, um roteiro de Roma, Milão, passando por Siena, San Gimignano, Florença, Veneza e Verona, exige pelo menos dez dias para evitar atropelos. Se você dispõe de mais dias ótimo: aproveitará mais a viagem e poderá incluir outras cidades no caminho. Mas, se seu tempo é mais curto, o melhor a fazer é simplificar o roteiro. O que sobrar, fica para a próxima.

O que levar:

No inverno, um sobretudo, e um bom par de botas são ítens de sobrevivência. No verão, roupas leves para caminhar sob o sol, sem esquecer que bermudas, saias curtas e blusas decotadas são proibidas nas igrejas. Em qualquer época, coloque na mala um traje formal, para não se sentir um peixe fora d’água num jantar elegante ou no Scala de Milão.

O que trazer:

As roupas e os sapatos italianos estão entre os melhores do mundo e entram em liquidação a cada final de estação. Aproveite São tentadores também as máscaras e os cristais de Veneza, os vinhos e as cerâmicas da toscana e as relíquias garimpadas em feiras e antiquários. Peça nota de tudo para pedir o reembolso de 12% de imposto na saída do país. 

Melhor Época:

A Itália é interessante o ano todo, mas ainda é melhor na primavera: é quando o clima fica mais ameno e o preço das passagens cai. O outono também é uma ótima opção, embora um pouco chuvoso. No auge do inverno, em janeiro e fevereiro, os dias são curtos e a neblina, mais quente. Julho é o mês mais quente – e também o mais concorrido e caro. Evite.

O que evitar

Levar bagagem pesada para Veneza
Trocar dólares demais no primeiro guichê de câmbio
Deixar bolsas e carteiras desprotegidas (principalmente em Roma)
Chegar sem reserva de hotel
Viajar em agosto (é mais caro, quente e tumultuado)
Chegar atrasado nos restaurantes (será barrado) 

PROGRAMAS LEGAIS 
·         
Descobrir as cidades a pé
·         
Degustar vinhos numa vinícula da Toscana
·          Assistir uma ópera em Verona ou Milão
·          Explorar os museus do Vaticano (e, se possível, ver o papa).
·          Tomar sorvete num café ao ar livre
·          Assumir o romantismo de Romeu e Julieta num passe1 de gôndola


Se você estiver buscando comprar, na Itália, veio ao lugar certo, desde vestuário das griffes famosas, até um bom vinho, enfim busque estas informações em nossas páginas de Veneza, Milão, roma e Florença 


Faça uma visita, as páginas de Roma, Veneza,Milão e Florença, para levar algumas dicas sobre as melhores cozinhas  deste roteiro

Existem boas dicas para você agitar sua sua noite nas cidades que você estará visitando neste roteiro nas páginas de Milão, veneza. Roma e Florença no ícone exterior deste site
ficar.gif (1080 bytes)
Nossa sugestão para hotéis em Roma/ Milão, Veneza e Florença estão nas páginas destas cidades que constam no ícone exterior.

Um guia básico para você ir de Roma a Milão de carro

ROMA:
Antiga sede do Império. Roma é a melhor síntese da Itália. Comece por ela.
Fuja do congestionamento, alugue um carro só quando estiver saindo de Roma, para escapar do transito caótico. Aqui voc6e ganha tempo usando o metrô e o táxi nos percursos maiores e andando a pé no centro da cidade. Veja o roteiro destinado a Roma neste site, e você saberá o que Roma tem a oferecer, veja os principais monumentos, igrejas e museus, passeie por suas ruas, prove de sua culinária e guarde muita recordação...
A Itália como um todo possui pistas segura, nas auto-estradas italianas o preço do pedágio equivale ao que se paga pelo consumo de combustível. É caro, mas compensa – principalmente nos dias de chuva ou nevasca.
A 165 Km de Roma pela auto-estrada, existe uma saída para Assis que está a 61 km do início deste anexo passando pelo Lago Trasimeno onde os romanos sofreram uma de suas piores derrotas para os cartagineses em 217 a.c. é cercado por balneários com boas opções de hospedagem. Longo adiante está Perugia e mais 26 quilômetros Assis, um dos pontos de peregrinação católica, a cidade de São Francisco de Assis, ainda se recupera pelos danos causados pelo último terremoto, mas nunca perdeu a fé.
Vamos retornar a estrada principal, aquela que nos traz de Roma 20 quilômetros à frente teremos uma outra estrada secundária que traz do lado direito Arezzo, cidade das jóias, considerada a cidade mais rica da Toscana, Arezzo é famosa pelo seus orives, e mais 32 km está Caprese Michelangelo, terra natal de Michelangelo que atribuia seus talentos ao ar das montanhas daqui (você poderá chegar até aqui por uma estradinha vindo de Arezzo ou de Florença), e do nosso lado esquerdo Siena, com suas construções impecavelmente preservadas, ainda tem um pé na idade média. O Pali a maior festa da Toscana acontece aqui.
De Siena sae outra auto-estrada que leva a San Gimignano, a pequena San Gimignano destaca-se na paisagem com suas 14 torres, em tempos mais gloriosos eram 76.
Continuando a subir por esta mesma estrada você passará por uma região de Florença e Siena especialista em carne de javali vale a pena experimentar.
E pelo melhor que a região pode oferecer em vinhos...
O final desta estrada nos leva a primeira e já bem conhecida auto-estrada, e logo à frente FLORENÇA.
Existem tantas coisas a fazer em Florença que sugerimos, dar uma passadinha pela pagina destinada a esta cidade em nosso site. Não esquecendo que algumas obras mais geniais do renascimento estão nas praças e museus de Florença. De quebra, a cidade tem também a Ponte Vecchio, uma das mais bonitas da Itália.
Além de tudo que a cidade oferece existem as atrações próximas que podem ser conhecidas num dia como Pisa a 84 Km, Vinci a 55 km, Livorno a 110 Km, Luca 52 Km, Istóia 27 Km, Bolonha 83 km, Ímola, 116 Km, Maranello 113 Km e Modena 122 Km.
 Ao sair de Florença siga a auto-estrada sentido Bolonha são 83 Km até lá de Bolonha, de uma parada por aqui, você tem dois motivos para esta parada: a cidade tem a universidade mais antiga da Europa e a melhor mortadela da Itália e portanto do mundo, e uma curiosidade é governada por comunistas desde 1946...
Vamos continuar nosso roteiro mais 111 Km chegaremos ao final desta estrada e a uma bifurcação pegue a direita mais 29 Km a Mestre, divisa com Veneza e da onde sai o vaporetto, não caia na tentação de economizar alguns trocos e se hospedar aí, a cidade é industrial e poluída e não tem nenhum atrativo, vá à  VENEZA...
As primeiras providências ao chegar a Mestre são deixar o carro numa garagem e reservar hotel em Veneza. Acidade dos canais só pode ser descoberta de barco ou a pé.
Em Veneza os ônibus foram trocados por vaporettos, os táxis por elegantes lanchas de madeira e as carruagens pelas gôndolas. Você vai se sentir um peixe fora d’água, mas só por pouco tempo, depois vai ser difícil deixar a cidade para continuar viagem.
Deixe de enrolar para ir embora pegue o carro que deixou em Mestre e voltemos mais uma vez a auto-estrada e desta vez sigamos reto até Pádua, onde poderemos apreciar a Capella degli Scrovegni, que exibe alguns dos mais impressionantes trabalhos de Giotto, visite também o Duomo e o Batistério da cidade, acabada a visita pé na estrada mais 88 Km estaremos em VERONA, você vai amará Verona, a terra de Romeu e Julieta, Verona tem também um anfiteatro romano mais antigo que o Coliseu, que sedia festival de ópera em agosto.
Agora quase no fim de nosso roteiro vamos a Milão, a 180 quilômetros de Milão, pela estrada ainda poderemos apreciar as cidades de Canneto Sullóglio, para os gourmets há um restaurante nesta cidade chamado Dal Pescatore, considerado um dos melhores restaurantes do país., Cremona a 41 km da auto-estrada, a terra do violino, Brescia, beirando a auto-estrada, Segunda maior cidade da Lombardia, depois  de Milão, Brescia tem interessantes ruínas romanas, no caminho até Milão outro restaurantes cotados entre os 19 melhores de toda a Itália, o Antica Osteria del Ponte, fica em Cassinetta di Lugagnano, depois de 95 Km desde a saída de Brescia chegamos a MILÃO...
Milão uma cidade a parte, capital da moda, tem a maior igreja gótica da Itália e famosa por suas lojas de griffe, a cidade disputa com Paris o título de maior centro da moda mundial. Aconselhamos aqui também um giro pela página de Milão em nosso site.
Os arredores de Milão são tão impressionantes como a cidade, se puder veja o lago de Como, a meia hora de carro da cidade, e se o dia estiver limpo vale a pena fazer um vôo panorâmico pela cidade de Como; de Bellagio é possível cruzar o lago de balsa até Menaggio e voltar pela outra margem. Se preferir, faça o passe1 no sentido contrário: o prazer é o mesmo.
A 34 km de Milão está também Pávia, está pequena cidade já foi capital do reinado de Carlos Magno no século 8. Não deixe de conhecer sua bela ponte coberta e seu monastério.


     E muito mais...
Para saborear com mais intensidade a volta e o encontro com os amigos e familiares, faça um jantar com sabores da Itália, todo mundo vai vibrar vendo as fotos e saboreando o que a Itália tem de melhor em sua gastronomia: Receitas